• fb_icon
  • insta_icon

#livreirinha

Todos os direitos reservados © 2016 - 2018 · Livreirinha | Literatura infantil e infantojuvenil

Caderno sem rimas da Maria

22/05/2018

Quem nunca inventou uma palavra?

 

 

Ou ao menos se divertiu muito com a invenção dos outros?

Então você vai adorar o novo livro de Lázaro Ramos, “Caderno sem Rimas da Maria”, editado pela Pallas.

 

O título já é curioso. Um caderno, sem rimas. Mas porquê?

Bem, o primeiro livro da série, segundo infantil de Lázaro, se chama o Caderno de Rimas do João, e foi feito com base na divertida mania de rimar que João tem. João é irmão de Maria, e bem no início do livro ela já avisa “sem brincadeiras, viu?”, não são do conto de fadas!

 

 

Ambos os livros são inspirados nas experiências que Lázaro tem com seus filhos, e o resultado é quase como um dicionário afetivo de ambos.

Maria, diferente do irmão, gosta mesmo é de inventar. Criar as coisas do seu jeito, entende e decifra o mundo como ele lhe parece.

 

E é isso mesmo, o bom e gostoso é fazer invencionice! – E aqui eu me surpreendo, Lázaro, não é que meu corretor não corrigiu invencionice?! Existe mesmo tal palavra, Maria. Essa eu não sabia, obrigada!

 

A leitura do livro é muito gostosa, bem ritmada e repleta de histórias divertidas.

 

Fiquei aqui lembrando de quantas palavras engraçadas e malucas já ouvi da criançada. Ah, mas não tão malucas né, elas sempre fazem todo sentido! E o divertido é ficarmos pensando de onde veio aquela lógica. É sempre certeira.

 

Por exemplo, atrapalhante:

 

“...quando eu quero o copo que ele usa, a espada a laser ou uniforme dele da escola, ele grita:
- Sai, Maria, você é atrapalhante!”

 

 

E passeando pelas ideias e causos da Maria, nos deliciamos e nos divertimos com o imaginário infantil, sempre tão curioso!

 

As ilustrações são de Mauricio Negro, sempre imponentes e criativas com uma mistura de estilos que dá muito, muito certo!

 

 

 

Disponível na  TRAVESSA

POR QUE LÊ-LO?

 

Caderno sem rimas da Maria é a exaltação do que é ser criança.

É a valorização de todas as curiosas observações que elas têm das coisas e do mundo. E eu adoro livros assim!

 

Além de ser um livro extremamente criativo, para mim, fomenta um mundo de atividades.

Seja na discussão em casa, sobre as expressões que existem ou não existem, até atividades na escola em inventar mesmo palavras e desenhar sobre o que elas significam.

 

O livro é ainda, sensível em vários pontos: fala sobre as diferenças entre o que é ou não coisa de menino e menina, e como isso já não tem nada a ver! Traz de forma sutil a questão do preconceito em “Denguindacho” que aborda as gostosuras de se fazer carinho nos cabelos crespos. É de verdade, um livro que diverte e envolve a criançada e que pode criar diálogos sobre coisas muito importantes.

 

Que tal você mesmo fazer um dicionário cheio de palavras engraçadas, difíceis e inventadas?

Aposto que vai ser muito legal!

 

 

 

Compartilhar no Facebook
Compartilhar no Twitter
Please reload