• Ana Claudia

Se os tubarões fossem homens


Mais um primoroso livro de Bertolt Brecht para crianças!

“Se os tubarões fossem homens”, editado pela Olho de Vidro, é um livro irreverente, provocador, com belas pitadas de ironia e traz diálogo majestoso com os traços de Nelson Cruz.

A pergunta parecia ser simples “Se os tubarões fossem homens, será que eles seriam mais gentis com os peixinhos?”. A partir da indagação da filha da hospedaria, o Senhor K., sem sombras de dúvidas, apresenta inúmeros argumentos que provam que sim: os homens seriam mais gentis com os peixinhos.

Por que se os tubarões fossem homens, criariam grandes gaiolas repletas de comida onde os peixes poderiam se alimentar e ali se sentir seguros; presariam pela educação dos peixinhos ensinando-os a nadar em busca de uma grande boca de tubarão preguiçosa, afinal esse ato de sacrifício é muito nobre.

Inclusive, se fossem homens, os tubarões acabariam com essa coisa de “todo peixinho é igual”, dando cargos diferentes para cada um deles.

A máxima seria a obediência!

E com argumentos pra lá de irônicos o Senhor K vai apresentando para a pequena menina as diferentes possibilidades para o mundo dos peixinhos – que capciosamente entendemos não ser nada muito diferente do que temos em terra firme, afinal, se os tubarões fossem homens aí sim,

haveria civilização no mar!

Não só destes belos argumentos se faz esta história.

A cada página, junto das reflexões inquietantes, a leitura das imagens é fundamental pois transformam o texto e sua narratologia: Nelson Cruz assemelha os tubarões aos homens desde as vestimentas e postura até seus vorazes dentes, muito gananciosos.

A sagacidade de certas cenas é a cereja do bolo.

O peso dos tons de azul-marinho, cinza e preto criam a atmosfera turva e misteriosa do mar, tão parecida com a mente humana. Mas apesar deste peso, à margem, vemos um peixinho rubro desvirtuando este cenário. Do monocromático ao surgimento de cores, os peixinhos podem ainda encontrar outras formas afinal, a rebeldia é essencial parte da vida!

POR QUE LÊ-LO

Bertolt Brecht, Bertolt Brecht. Provavelmente você já deve ter ouvido este nome entre poemas e grandes peças de teatro, mas é provável que nunca tenha imaginado ler Brecht para crianças

Ou será que estou enganada?

Isso porque, com forte influência marxista e grande crítica ao sistema capitalista, Brecht sempre teve esta característica pra lá de provocadora e intensa. Mas não se engane. Esta critica é muito construtiva e muito bem apresentada neste livro.

“Se os tubarões fossem homens” é o segundo livro do ensaísta editado por aqui que se destina ao público infantil e confesso, adoro livros que me instiguem na insistente pergunta:

“o que é um livro para crianças?”

Pois é, e você vai entender exatamente o porque quando começar a leitura.

Sobre relações pessoais, sobre nossa relação com a natureza, sobre a sociedade como um todo e questões políticas.

De muito pode se falar ao ler este texto Com uma linguagem super agradável, graças a tradução de Christine Röhrig, o texto de Brecht se torna fluido e um prazer.

As ilustrações de Nelson Cruz engrandecem a narrativa de forma lúdica e muito bem construída, com uma bela sagacidade através das referências entre homens e tubarões e uma possível sociedade em comum.

E particularmente apaixonada pela interpretação de Cruz de uma grande cidade de tubarões onde as influências de arte de rua, marginalidade e economia são irresistíveis!

Imperdível!

#OlhodeVidro #BertoltBrecht #política #nelsonCruz

  • fb_icon
  • insta_icon

#livreirinha

Todos os direitos reservados © 2016 - 2018 · Livreirinha | Literatura infantil e infantojuvenil